Notícias

A insuficiência dos repasses dos Governos Estadual e Federal afetam as Prefeituras de todo o Brasil, principalmente com a crise que o país enfrenta com falta de investimentos. E a crise econômica prejudica também os atendimentos de entidades de Assistência Social em Mogi das Cruzes e causa o fechamento de 3 Casas de Acolhimento. O colaborador da Rádio Metropolitana, Marco Bertaiolli, analisa o cenário que preocupa toda a sociedade.

Conselheiro Municipal de Assistência Social afirma que Prefeitura de Suzano contratou Casa de Acolhimento de Crianças sem realizar chamamento público. Entidade Luz Divina teve de entregar serviço ao Instituto Viva a Vida. Prefeitura alegou irregularidades na prestação de contas para trocar de entidade.

Pacto entre a Justiça, Prefeitura de Mogi das Cruzes e Entidades Acolhedoras promete manter atendimentos de crianças e adolescentes na Rede de Assistência Pública da cidade. Está mantido o desligamento das Casas de Acolhimento Renovação, Obede Edom e São Lourenço. Já as demais Casas de Acolhimentos mantiveram a promessa de continuar atendendo às crianças e adolescente, mesmo com os atuais problemas financeiros.

Uma reunião fechada hoje, no Fórum de Mogi das Cruzes, com a participação do juiz da Vara da Infância e Juventude, Gióia Perini, da secretária municipal de Assistência Social Neusa Marialva, e de representantes das Casas de Acolhimento Renovação, Obede Edom e São Lourenço, busca dar uma alternativa para o fechamento das unidades e não deixar crianças e adolescentes assistidos sem amparo. Com o risco do fechamento destas entidades, a cidade perderá 60 vagas de acolhimento para crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidades social.

Falta de recursos ameaça fechar abrigos de menores em Mogi das Cruzes. Entidades enfrentam sérias dificuldades causadas por crise e pedem reajustes em repasses oficiais. Além da Casa Renovação, Obede Edom e Associação São Lourenço, mais entidades destinadas ao acolhimento de crianças e adolescentes estão ameaçadas de fechar as portas. É o caso da Associação Beneficente de Renovação e Assistência a Criança (Abrac). Prefeitura vai abrir chamamento público para que novas organizações realizem o acolhimento de menores.